Vamos dar uma olhada no meu trabalho…

Web design é uma extensão da prática do design gráfico, onde o foco do projeto é a criação de sites e documentos disponíveis no ambiente da internet. A preocupação fundamental do web designer é agregar os conceitos de usabilidade e experiência do usuário ao design do site, garantindo que o usuário final atinja seus objetivos de forma agradável e intuitiva.
A estrutura, também conhecida como arquitetura de informação do site, deve contemplar seu objetivo – a usabilidade, tornando a experiência do usuário a mais confortável e fácil possível. Como todo trabalho de design, ele é um projeto, e necessita uma análise informacional, a partir de um briefing. Detectar corretamente o objetivo do projeto é essencial para um bom planejamento, de modo que as ações sejam tomadas de forma correta.
Definir o público alvo do site, o objetivo, os serviços oferecidos, o diferencial para o público. A partir desses e de outros elementos que sejam especificamente relevantes ao projeto, será definida a estrutura do site (Arquitetura de informação), a tecnologia empregada e o layout.
O layout precisa transmitir a informação desejada com eficiência. É preciso que o layout seja um elo de comunicação com o usuário, que sua linguagem seja condizente com o objetivo do site. Conhecer heurísticas de usabilidade é fundamental para se gerar layouts para a web.
Cada elemento inserido em um website deve ter um objetivo, a perfeição de um website se atinge quando não há nada a ser retirado e não quando não há nada mais a ser inserido.

Vamos dar uma olhada no meu trabalho…

Trabalhar com design de jornais é a coisa mais gratificante e concomitantemente frustrante que existe. Você cria um desenho de página deslumbrante para uma matéria de conteúdo mais do que relevante, que tem tudo a ver na conjução de texto, fotos e design… E tudo isso em uma margem estreitíssima de tempo, pois às vezes a produção da página está estourando o deadline para ir para a impressão.
Você fica eufórico, se achando o máximo…
Até no dia seguinte, pesarosamente sentir essa euforia escoar ralo adentro, quando você encontra jogado pela rua todo aquele trabalho que o repórter, o fotógrafo, o editor e você, designer, se engalfinharam para construir, na maior guerra de egos que move uma redação de jornal…

Vamos dar uma olhada no meu trabalho…

Já o design de uma revista, por ser uma publicação que é editada periodicamente (em geral, semanal ou mensalmente e ainda há outras que saem a intervalos diferentes) voltada para o público em geral, o designer tem mais tempo pra criar sofisticados designs para os assuntos que nela serão publicados. Nas revistas é possível ter mais devaneios na produção dos designs do que nos jornais diários, cujo design deve ser mais sóbrio.
À semelhança dos jornais diários, as revistas fazem parte dos meios gráficos embora também possam ter a sua versão digital ou terem sido criadas diretamente na Internet.
Existem revistas sobre uma ampla variedade de temas e dirigidas a todo o tipo de público, nas quais os designers têm toda uma gama de oportunidade para exibirem sua versatilidade nas criações e não terem a frustração de ver o seu trabalho lançado nas sujeiras das ruas, pois são dirigidas a nichos específicos, entre eles, infantis, femininos, para homens, de interesse geral, culturais, desportivos, de análise política e econômica e humorísticos.

Vamos dar uma olhada no meu trabalho…

Os livretos são volumes impressos no formato de livros e podem ser produzido de variados tamanhos e formas, mas na maioria das vezes é em A5 e conta com um número de páginas sempre divisível por quatro.
São de extrema utilidade para a divulgação dos mais diversos conteúdos, sendo assim eles podem ser livros de receita, manuais de instrução, divulgação de eventos e instituições, informativos empresariais, projetos e campanhas políticas, livros de histórias curtas e ilustradas e, inclusive, suporte para textos literários ou narrativas que contenham ilustração – como histórias em quadrinhos – e fotos.
Apesar do seu tamanho, ele pode ser bastante atrativo. Com uma capa bem trabalhada, com informações internas de fácil leitura e identificação, contando com imagens e demais signos visuais no interior, ele pode muito bem ser considerado um belo trabalho de arte.

Vamos dar uma olhada no meu trabalho…

Design gráfico ou também nomeado Projetismo Gráfico é, basicamente, a área de conhecimento e a prática de comunicar visualmente. Essa comunicação pode ser através de imagens, textos e desenhos, onde o designer utiliza habilidades de desenho, estética, artes visuais, diagramação e, principalmente, criatividade. É uma forma de se comunicar visualmente um conceito, uma ideia. O design gráfico está inserido em nosso cotidiano através de marcas, símbolos, logotipos, embalagens, livros, jornais, placas, anúncios, camisetas, softwares, sites, jogos e tudo o mais que possa comunicar.
Designer gráfico é o profissional que faz os estudos necessários para que todo esse desenvolvimento transforme uma ideia numa imagem poderosa e concisa, seja ela utilizada em impressos, tevê, cinema ou nos meios digitais.
Mas atualmente, com o desenvolvimento tecnológico de plataformas digitais de fácil manejo, o profissional experiente que estudou durante muito tempo, ou aquele que se profissionalizou através do trabalho exercido em estúdios de design, redações de jornais e revistas ou em agências de publicidade por décadas de dedicação, estão enfrentando concorrentes de peso: o filho ou o sobrinho dos donos das empresas e que sabem “mexer no tal de corel e photoshop”.
Ô, dureza!

Vamos dar uma olhada no meu trabalho…

Boletim informativo (newsletter em inglês) – que como sempre aqui no Brasil, nós incorporamos a palavra estrangeira ao nosso vocabulário ao invés de adotar a tradução -, é um tipo de distribuição regular a assinantes e que aborda geralmente um determinado assunto com conteúdo, periodicidade e linha editorial, mas nem por isso deve ser um massante e monstruoso bloco de textos e fotos acoplados sem o mínimo respeito ao público alvo.
Aqui também o designer tem a oportunidade de usar seu talento para tornar a leitura agradável, com um design leve e chamativo, levando em conta que ele, por possuir muitos elementos de jornais e revistas, pode até ser impresso, mas atualmente generalizam-se cada vez mais os boletins informativos como mensagem eletrônica ou seja email que o usuário pode receber via Internet após efetuar um cadastramento em algum site, independente dele ler ou não. Também podem ser enviadas por SMS, WhatsApp, Facebook, etc.
Bastante eficaz e de baixo custo, com maiores taxas de retorno, ideal para ajudar na fidelização de clientes. Muita gente confunde newsletter com spam ou com e-mail marketing, mas não é nem um nem outro, é, como o nome diz, um boletim informativo de empresas ou profissionais liberais.
E todos que estiverem descontentes com seus boletins informativos podem cancelar a assinatura e não serem mais incomodados.

Vamos dar uma olhada no meu trabalho…